Banner Principal

Alimento Espiritual: Artigos e Formação

:: Canais / Ser Jovem

Você sabe aproveitar o seu Tempo?

- Imprimir artigo

Do livro: “Vocação: uma vida encantada com Deus!” de Juracy Villares.
Outra dificuldade que surge na escolha profissional e vocacional é o questionamento diante do tempo.
O mundo de hoje vive em ‘alta velocidade’. A aceleração dos mecanismos através dos quais o homem se relaciona com o mundo ¾ a rapidez da informação e da transformação das coisas, a velocidade dos meios de locomoção, dos processos de fabricação, os ‘fast food’ ¾ impede a reflexão e impossibilita o silêncio do espírito. Isso resulta numa quebra de valores desordenada, na medida em que não há tempo hábil para que as coisas sejam digeridas de modo razoável, para que haja discernimento e escolha. Vai-se, então, ‘engolindo’ tudo de modo automático, sem valorar.
A velocidade de reação do ser humano é a mesma, mas os veículos, as máquinas e as coisas criadas pelo homem tornaram-se cada vez mais velozes, obrigando-o a acompanhar um ritmo externo superior ao seu, ficando escasso o tempo de reflexão.
A primeira aprendizagem na luta contra o tempo acontece no parto natural, pois o bebê tem aproximadamente um minuto para a troca dos hormônios maternos, sair e respirar pela primeira vez com o próprio nariz. Fica, assim, marcado psicologicamente como vencedor.
Uma abordagem acerca da direção do tempo faz-se ainda necessária ¾ caminhamos a favor ou numa direção contrária ao tempo?
Em que consiste o tempo passado? O passado consiste de realidades irrevogáveis, vividas e guardadas dentro de nós. Do que é feito o futuro? O futuro é feito de possibilidades mutáveis e múltiplas que se revelam parcial e misteriosamente fora de nós. Mas, o passado já não existe e o futuro ainda não aconteceu. Só o presente é real aqui e agora. O presente é o instante da decisão entre as possibilidades que o futuro nos apresenta, sob a lente construída do passado vivenciado.
O homem é entendido como um ser que se movimenta hoje no limiar dessas duas dimensões: na encruzilhada entre o que pode ser (futuro) e o que foi (passado). É responsável pelo possível que ele escolhe tornar real e constituir parte integrante de sua vida. Essa opção contínua em cada momento presente para tecer sua própria história faz do homem um ser espiritual.
“Portanto, graças à sua dimensão espiritual, o homem poderá resistir ao seu destino, tomar distância de suas condições internas, fazer oposição às suas circunstâncias externas e colocar-se em condições segundo o modo de sua escolha” (Lukas, Elisabeth. O Sentido da Vida).
O homem é um “ser que decide”. É “ser aí” e não somente “achar-se presente” que caracteriza o existir do Homem como tal, é a multiplicidade de oportunidades, dentre as quais apenas uma se realiza no seu ser. E em nenhum instante da sua vida, pode o homem esquivar-se à forçosa necessidade de escolher entre as possibilidades.
O fluxo do tempo está univocamente orientado do futuro para o presente e, depois, para o passado, sucessivamente. O ser humano entra no fluxo do tempo e caminha do passado construído para o presente, vivendo em direção às oportunidades do futuro. O fluxo da nossa vida está univocamente orientado do passado para o presente em vista do futuro. Há muitas possibilidades existentes fora de nós no futuro que são selecionadas para existir no momento presente. Uma só possibilidade é eleita no momento presente: aqui (espaço) e agora (tempo). Torna-se, então, uma realidade já vivida e gravada eternamente dentro de nós no passado.
Exemplificando:
  • Antes da elaboração deste livro, em 1994, o ato de escrevê-lo estava entre uma das possibilidades existentes fora da vida da autora, no futuro.
  • No dia 16/06/95 foi feita uma escolha existencial e estava sendo digitado este livro ¾ era momento presente ¾ entrara esta possibilidade para a vida da autora.
  • Agora, no séc. XXI, o dia 16/06/95 está irremediavelmente guardado no passado através da realização deste livro que está hoje em suas mãos.
Fora do fluxo do tempo, reina para nós uma inimaginável intemporalidade – a eternidade – e isso significa que tudo é concomitante: as possibilidades realizadas estão simultaneamente presentes, uma ao lado da outra, eterna e imperecivelmente.
A vida humana é estendida pelo fluxo do tempo: ela entra nele pela concepção e sai novamente dele através da morte.
Para melhor compreender o fundamento filosófico do tempo na concepção das teorias logoterápicas, formuladas por Viktor Emil Frankl, observemos o seguinte esquema:
Viver é o encontro do meu “Eu” com o tempo e o espaço. Viver é responder à Vida, hoje, com resposta vivida. Este momento é precioso porque nunca mais se repetirá, e o que fizemos, o como aproveitamos, está guardado na eternidade conosco. Por isso: “Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo. Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã: o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado” (Mateus 6, 33-34 ).

“Não há dúvida de que geralmente a pessoa somente leva em conta o campo de restolhos da transitoriedade e se esquece dos abarrotados celeiros do passado, onde ela guardou, de uma vez por todas, os seus atos, suas alegrias e também seus sofrimentos. Nada pode ser desfeito, nada pode ser eliminado; eu diria que ter sido é a mais segura forma de ser. Em todo e qualquer momento a pessoa precisa decidir para o bem ou para o mal, qual será o monumento de sua existência” (Frankl, Viktor Emil, Em busca de sentido, p. 106).

Realmente, visto assim, o nosso passado pode ser considerado um tesouro onde guardamos o monumento da nossa existência. “O homem de bem tira boas coisas de seu bom tesouro. O mau, porém, tira coisas más de seu mau tesouro. Eu vos digo: no dia do juízo os homens prestarão contas de toda palavra vã que tiverem proferido. É por tuas palavras que serás justificado ou condenado” (Mateus 12, 35-37).
Portanto somos
             -  pais de nosso futuro e não seu dono,
             -  filhos de nosso passado e não seu escravo.
 
Viver é responder hoje, à Vida, a Deus, com a nossa resposta bem vivida.
Assim se fica feliz!

Juracy Villares

Comunidade Missionária Santíssima Trindade

Copright 2002 - 2006. Comunidade Missionária Santíssima Trindade - Todos os direitos reservados